Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Síntese Histórica e Estandarte
Início do conteúdo da página

SÍNTESE HISTÓRICA

Criado: Terça, 12 de Janeiro de 2016, 16h00 | Publicado: Terça, 12 de Janeiro de 2016, 16h00 | Última atualização em Quarta, 10 de Mai de 2023, 12h15 | Acessos: 9847

 

15º BI Mtz e Av Cruz das Armas no início do século XX.
imagem sem descrição.

No contexto histórico, a origem do 15º Batalhão de Infantaria Motorizado (15º BI Mtz), “Regimento Vidal de Negreiros”, possue duas vertentes: a do sul, na cidade de Desterro-SC e a do norte, na cidade de Belém-PA.

A vertente sul é a mais antiga, remonta ao ano de 1870, quando da criação da 8ª Companhia de Infantaria pelo Decreto nº 4.572, de 12 de agosto daquele ano, na cidade de Desterro-SC.

Pelo Decreto nº 10.615, de 18 de agosto de 1888, a 8ª Companhia de Infantaria é absorvida pela criação do 25º Batalhão de Infantaria, que se transfere para a cidade de Porto Alegre - RS, em 1908, e onde recebe a denominação de 56º Batalhão de Caçadores, pelo Decreto nº 6.971, de 04 de junho do mesmo ano.

De 1910 a 1920 tem parada na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Nesse período participa da Campanha do Contestado em 1914 e tem sua denominação mudada para 2º Batalhão de Caçadores.

A partir de 1920 tem parada nas cidades de Niterói-RJ, Petrópolis-RJ e Recife-PE, onde chega em 1939.

A vertente norte, é uma origem mais recentes, e remonta ao ano de 1894, quando da criação do 40º Batalhão de Infantaria, na cidade de Belém-PA, pelo Decreto nº 1681, de 28 de fevereiro.

Após participar da 4ª Expedição à Guerra de Canudos, é transferido para cidade do Recife-PE, em 1897. Ali é transformado em 49º Batalhão de Caçadores a 10 de fevereiro de 1909.

Em 16 de novembro de 1919 é transferido para cidade de João Pessoa-PB, onde recebe a denominação de 22º Batalhão de Caçadores, pelo Decreto nº 13.916, de 11 de dezembro daquele ano.

No ano de 1941, período em que já havia iniciado a 2ª Guerra Mundial (01/09/1939), como consequência do planejamento estratégico maior que procurava modernizar e preparar o Exército Brasileiro em face de um possível emprego no contexto da guerra, dentre outras ações, foram organizados, três Regimentos de Infantaria: 14º, 15º e 16º, com sede em Recife, João Pessoa e Natal, respectivamente, com o objetivo de defesa do litoral e de áreas importantes do interior.

Pelo Decreto nº 3.334, de 6 de junho e Aviso nº 1.765, do dia 10 do mesmo mês, do ano de 1941, foi criado o 15º Regimento de Infantaria (15º RI), servindo como base para sua formação os oficiais e praças do 2º Batalhão de Caçadores (vertente sul) destacado em Recife-PE e do 22º Batalhão de Caçadores de João Pessoa-PB (vertente norte), tendo sido a nova Unidade organizada no dia 1º de agosto de 1941 (data de aniversário).

Em 1º de março de 1949, pela Portaria Reservada nº 1312, de 29 de janeiro, é reduzido o efetivo a um Batalhão tipo II, passando a ser I/15º RI.

Em 15 de setembro de 1950, pela portaria Reservada nº 1310, de 18 de fevereiro de 1950, passa novamente a 15º Regimento de Infantaria, sendo que em 1º de maio de 1967, pela Portaria Reservada nº 109, de 1º de novembro de 1966, passa novamente a I/15º RI, com seu efetivo reduzido para 5 companhias.

Em 01 de janeiro de 1974, em cumprimento ao Plano de Reorganização do Exército, publicado na Portaria Reservada nº 043, de 07 de novembro de 1973, foi o I/15º RI transformado em 15º Batalhão de Infantaria Motorizado.

É, pois, o 15º Batalhão de Infantaria Motorizado, “Regimento Vidal de Negreiros” o mais legítimo herdeiro e guardião de tradições gloriosas, que saberá honrar e manter, o elevado conceito que desfruta no seio do Exército Brasileiro e da família Paraibana.

Aqui reina o espírito: MISSÃO DADA É MISSÃO CUMPRIDA! FALANGE FORTE!

 

 

SÍNTESE HISTÓRICA RESUMIDA

 

Sintese histórica

 

 

SÍNTESE HISTÓRICA COMPLETA

Síntese Completa

 

 

ESTANDARTE HISTÓRICO DO BATALHÃO

estandarte

 

Pela Portaria Ministerial nº 725, de 13 de julho de 1987, foi aprovado o Estandarte Histórico do 15º BI Mtz contendo a seguinte descrição heráldica:

“Forma retangular, tipo bandeira universal, campo em verde, representativo da Arma de Infantaria. Em brocante e em abismo, um escudo peninsular português, cortado e filetado em ouro. Primeiro campo em verde, carregado com o distintivo da Arma de Infantaria, em prata. Segundo campo, partido, tendo no primeiro duas palas, em negro e vermelho, cores da Bandeira da Paraíba, carregado com seis pães, em ouro, representando a principal riqueza da região, o açúcar; segundo campo em azul-celeste, representando os céus da cidade de João Pessoa, carregado com um fortim, em ouro, simbolizando a Fortaleza de Santa Catarina, parque histórico de inúmeras batalhas contra os holandeses e sobreposto ao fortim, uma espada, em prata, arma de combate usada pela libertação da terra. Envolvendo o escudo, a Denominação Histórica, REGIMENTO VIDAL DE NEGREIROS, em arco e de ouro. Franja em ouro em toda a volta do campo. Laço militar com as cores nacionais, tendo inscrito em caracteres de ouro, a Designação Militar: 15º B I Mtz.”

   A referida honraria, deu-se em uma homenagem ao patrono do 15º BI Mtz, André Vidal de Negreiros, em reconhecimento as ações do maior líder paraibano durante o período das invasões holandesas (1624-1654), e que, colima-se com os motivos, expressos na Portaria que concedeu a denominação histórica, citados no item acima.

    O nome André Vidal de Negreiros está indelevelmente ligado à defesa de nosso território, em que se distinguiu pela tenacidade, bravura e amor à Pátria, na luta contra os holandeses.

    O 15º Batalhão de Infantaria Motorizado tem sua sede no bairro Cruz das Armas, onde existiu o engenho de propriedade do Mestre de Campo André Vidal de Negreiros, na cidade de João Pessoa, onde nasceu esse valoroso soldado.

Fim do conteúdo da página